7 passos para reduzir custos no varejo físico

reduzir custos

Veja algumas dicas para reduzir custos comuns no varejo físico

 

Reduzir custos no varejo pode se mostrar um grande desafio, especialmente quando os lojistas possuem pouco controle de suas informações e não sabem exatamente quanto de recursos está sendo destinado para cada necessidade. Quando esse é o cenário, o melhor a fazer é começar a ordenar os dados do negócio e investigar cada detalhe para entender onde e como é possível economizar.

Abaixo estão algumas dicas para quem quer aprender a reduzir custos no varejo físico:

 

1 – Faça uma auditoria das despesas de cada setor

Quais seus custos com telefone, energia, taxas de cartão de crédito, marketing? Analise todas as despesas mensais que você tem e quanto cada uma delas contribui para o negócio, cortando excessos desnecessários. Você certamente terá pouco a fazer com relação às taxas de cartões, já que este tem se tornado um meio de pagamento fundamental no dia a dia do consumidor. Mas, é possível apostar em descontos para quem pagar a conta em dinheiro. Da mesma forma, tenha cuidado ao olhar os gastos com marketing, que devem ser encarados como um investimento no negócio. Se os  resultados estiverem abaixo do esperado, revise suas estratégias, mas sem deixar de priorizar estas fontes de retorno.

 

2 – Conheça e controle melhor seus produtos e estoque

Você sabe qual a quantidade de estoque para cada um dos produtos que vende? Sabe quais itens são mais pedidos por seus clientes? Tem uma boa percepção de seus custos gerais com armazenagem dos itens e sabe priorizar produtos com maior rotatividade? Com um pouco de tempo e investimento nessa área, suas despesas podem cair consideravelmente. Isso somado ao fato que você conseguirá ter maior percepção sobre seus clientes e tornar o negócio muito mais lucrativo.

 

3 – Analise quais são as despesas recorrentes

Despesas recorrentes são aquelas que inevitavelmente você terá que pagar todo mês para a manutenção de seu negócio. Alguns exemplos são os gastos com água, eletricidade, telefonia e aluguel. Mesmo que alguns custos pareçam insignificantes perto de outros, lembre-se que estes são valores debitados de sua conta mês após mês e que, ao somar tudo no final de um ano, o montante pode fazer diferença. Uma boa dica é procurar alternativas mais baratas e economizar o quanto puder. Ao final de um ano, suas pequenas economias mensais, de R$200,00 ou R$300,00, já podem salvar o bastante para o mês de salário de um funcionário.

 

4 – Negocie melhor com seus fornecedores

Uma dica é conhecer bem o estoque e vendas de seus produtos para saber quais deles são mais requisitados pelos clientes. As informações de mercado e preços são excelente auxiliares durante a negociação com fornecedores e aumentam o poder de barganha das lojas. Por isso, acompanhe dados de seu negócio regularmente e mantenha relatórios e indicativos claros que identifiquem quais itens vale a pena adquirir em grandes quantidades. Não deixe de levar estes dados durante a negociação e solicitar descontos pela compra por volume.

 

5 – Alugue espaços livres para a oferta de serviços de terceiros

Caso sua loja tenha espaços livres e subaproveitados, pode ser uma boa decisão alugar os espaços disponíveis, perto das portas de entrada, para que outras empresas vendam seus produtos. Pela circulação de pessoas em sua loja, pode ser relevante para elas exporem seus produtos ali e, do outro lado, você garante uma rentabilidade mensal que te ajuda a manter as outras despesas sob controle. Apenas tome cuidado com a escolha de parceiros que devem ser confiáveis, ter boa reputação e oferecer produtos ou serviços que realmente possam agregar algo para seus clientes.

 

6 – Reveja todos os custos com transporte

Custos de transporte são variáveis conforme peso e dimensões da carga. Só que algumas vezes, a má distribuição de espaço pode ampliar as despesas gerais com o frete. Por isso, vale revisar o uso e distribuição de embalagens e se há como melhorar o aproveitamento da armazenagem, solicitando outros formatos de caixas ou sacos de entrega.

 

7 – Controle e reduza os custos invisíveis

Pequenos gastos do dia a dia podem passar despercebidos, porque simplesmente não são controlados, ou porque representam uma parte irrisória dos custos totais do negócio. Por outro lado, estas pequenas despesas diárias podem representar uma soma considerável ao longo de um período, como meses ou anos. A falta, ou excesso de controles internos, sistemas de gestão pouco eficientes, ociosidade de ativos, falta de qualidade, rotatividade da equipe: tudo isso pode gerar custos para a empresa e deve ser analisado e melhorado constantemente.

 

Você já analisa alguns destes fatores em suas despesas? O que costuma fazer reduzir custos de seu negócio? Compartilhe conosco!