Inteligência na gôndola – como softwares podem ajudar a não perder vendas e girar estoque

Inteligência na gôndola - como softwares podem ajudar a não perder vendas e girar estoque

Perder vendas e ficar com estoque parado são dois problemas que todo varejista, cedo ou tarde, tem que aprender a lidar e corrigir. É preciso comprar um volume de produtos bom o suficiente para atender demandas de consumidores, mas a ruptura de estoque pode impedir as vendas, assim como estoques muito grandes podem gerar custos adicionais com logística e armazenamento. O trabalho manual é pouco efetivo em confiabilidade e velocidade e algumas soluções alternativas podem se mostrar muito complexas e custosas. Com isso, a inteligência na gôndola se mostra uma boa solução, já que oferece serviço de alta precisão e com custo-benefício convidativo.

Outra percepção importante oferecida pela inteligência de gôndola, e que ajuda nas vendas, tem relação com os preços dos produtos. Algumas soluções, como a InfoPrice, são baseadas em um frame contendo uma foto do preço do SKU analisado em um determinado dia e mercado (loja). Estes dados permitem análises extremamente profundas, já que há uma grande precisão nas informações coletadas e os sistemas podem avaliar uma quantidade muito grande de registros de produtos e em diferentes localidades do país.

Mesmo grandes quantidades de SKUs podem ser analisadas rapidamente com sistemas de inteligência de gôndola, o que ajuda os varejistas conhecerem mais seus concorrentes e melhorar o posicionamento que têm sobre o preço de um item.

Abaixo estão algumas melhorias que você pode fazer com base nestas análises inteligentes obtidas nas gôndolas.

Melhor manutenção dos produtos expostos (e gestão de estoque)

A inteligência de gôndola possui dados altamente confiáveis de quais produtos não saem das prateleiras há muito tempo e quais estão indisponíveis. Se você comparar esse dado com os de seu estoque, sabe exatamente se está preparado para repor o produto nas prateleiras e evitar perder vendas.

Já os itens que estão há muito tempo nas prateleiras podem sugerir que o varejista deve readequar as estratégias de preço ou mesmo de exposição para essas unidades. Uma maior visibilidade para eles ou promoções específicas podem aumentar a saída destes produtos. Além disso, ele terá ciência de que esse item não deve ser comprado em grandes quantidades tão cedo.

Precificação estratégica

Dados de inteligência de gôndola são muito objetivos e podem acionar ações rápidas de um gestor. A percepção de como os concorrentes vendem o produto – se possuem estoque e a qual valor vendem o item – podem nortear o negócio de quando é um bom momento de melhorar os preços.

O desafio de balancear momentos adequados para ganhar pela venda em quantidade ou por uma margem maior ficam mais claros para quem costuma analisar preços. A inteligência de gôndola dá a exatidão necessária nas informações para o varejista e ele consegue ser estratégico com a solidez que precisa para embasar suas ações.

Hierarquização da loja embasada no comportamento de vendas

Toda rede de supermercado tem um desafio a cumprir quanto à jornada de compra do cliente. É preciso que o consumidor interessado em adquirir determinado item também seja impactado por diferentes produtos e tenha contato com novidades no mercado.

Isso é uma etapa de adequação de quais são as “categorias-destino” do cliente, ou seja, os itens que o levaram a entrar no mercado para comprar.  Tais itens devem ficar em áreas mais internas e produtos que requerem uma maior divulgação devem ser colocados estrategicamente nos espaços da jornada do cliente até a categoria-destino.

Com a inteligência de gôndola, o varejista tem percepção acurada do item que está emperrado nas prateleiras e daquele que costuma ter uma demanda muito maior. Assim, ele saberá exatamente como adequar sua loja para que os produtos com menor saída guiem todo o trajeto até o item mais procurado.